domingo, 25 de dezembro de 2011

Como desejar Feliz Natal?

24 de dezembro de 2011
Então é véspera de Natal! Dia de assar o peru, temperar o pernil, preparar o lombo, enfiar os espetos nas carnes,  lavar o bacalhau, bater o bolo, cuidar para não queimar o biscoito, lavar as frutinhas e prepará-las, enfiar as coisas no saco, tirar as coisas do saco e mais um monte de coisas de duplo sentido!
Mercados lotados. Eu mesmo fui a uns três ou quatro e quando vi as filas sai correndo. Todo aquele espírito de Natal tomando o corpo das pessoas. Num estacionamento havia duas mulheres gritando e falando um monte de palavras lindas e cheias de amor com o manobrista, porque o carro que estava atrás do delas não pegava. Fiquei emocionado com a cena, se eu tivesse no carro uma versão de Jingle Bell Rock com o Billy Idol ia colocar no último volume, bem ao estilo dos fankeiros!

Para que esse exagero?  Pergunto-me a cada instante: para que? Mas já falei sobre isso na postagem anterior “Então é Natal”.
Com os mercados cheios e restaurantes fechados, passei numa dessas lojas de conveniência e comprei pão e frios para fazer um lanche com minha mãe.
Enquanto eu preparava o lanche, minha mãe disse que não queria comer porque já tinha se empanturrado com um monte de porcarias. Como sou eu que compro as ditas porcarias e sabia que não tinha nenhuma, resolvi perguntar que porcarias ela havia comido. Como resposta obtive o seguinte:
- Umas coisas ai.
- Mãe, que coisas?
Neste momento a nossa querida secretária do lar respondeu lá do quarto :
- ela não comeu nada desde a hora que eu cheguei.
Isso queria dizer que ela não tinha comido nada mesmo!
Ela insistentemente disse que não queria comer muito e eu resolvi fazer uma brincadeirinha:
- Se a senhora não comer todo o lanche, vou contar pro Papai Noel e ele não vai trazer seu presente. Só ganha presente quem come toda a comida.
Por que eu disse isso? Com a simplicidade de uma criança de quase 84 anos, ela respondeu:
- Mas Papai Noel não existe! Você acha que existe? Eu nunca vi, por isso acho que não tem!
Engoli seco, pensei em rir, tive vontade de chorar, mas consegui me controlar e saborear o delicioso lanche que eu fiz. Ela comeu tudinho, como de costume. Mesmo com a aparente dúvida a respeito do Bom Velhinho e de várias outras coisas.
Essa cena misturada a dos mercados lotados e das duas elegantes moças despejando todo o carinho (ou carrinho) do mundo em cima do manobrista ficou martelando a minha cabeça pelo resto do dia.
Mais tarde voltei ao mercado um pouco mais vazio e calmo. Se é que se pode chamar de calmo um mercado no dia 24 de dezembro.  Sucumbi à tentação e comprei umas coisinhas, mas bem pouco mesmo. Uns dois carrinhos lotados, rsss. Brincadeirinha, apenas uma cestinha com umas coisinhas para fazer a tradicional maionese de Natal da agora reduzida família e umas frutinhas (sem comentários, por favor). Quando estava no caixa, presenciei mais uma cena digna de uma véspera de Natal. O rapaz do caixa desejou para a senhora na minha frente, e que estava acabando de pagar as compras, um Feliz Natal. Para que? A mulher desandou a falar.
-Não acredito nisso. Jesus nem existiu. Ninguém provou até hoje. Tudo isso é uma bobagem, todos se odeiam e ficam dando abraços falsos e falando bobagens. Isso foi uma data criada para fazer as pessoas gastarem e torrarem todo o seu dinheiro. Foi invenção dos judeus, turcos (ela quis dizer povos árabes em geral) e coreanos para ficarem mais ricos.
Juro que nesse momento tive vontade de dar uma gargalhada, mas me controlei. A situação poderia piorar. E piorou! Olhei atentamente para o carrinho dela, completamente lotado e cheio de coisas de natal tipo panettone, vinhos, bacalhau, frutas e algo parecido com uma dessas aves semi prontas (peru, chester, frango ou seja lá o que for) ficou em cima do balcão.  O pobre rapaz do caixa de cabeça baixa sem saber o que falar. Ele já está ali na função de caixa há certo tempo e sei que é muito educado e tímido.
Neste momento meu ímpeto falou por mim. Ela já estava virada de costas, quando eu peguei o esquecido peru, o dela é claro, e não o meu, e abri a minha boca:
- Senhora! Não vai levar o peru?
Após um breve instante em que tudo parece acontecer em câmera lenta e o mercado todo ficar em silêncio olhando para mim e para a senhora de costas, aguardando os próximos acontecimentos, completei:
- A senhora esqueceu seu peru de Natal!
Por quê? Eu me perguntei por que, por várias vezes, inúmeras vezes em questão de uma fração de segundos. Por que eu falei aquilo, poderia terminar a frase no peru, mas não falar o de Natal. E no som do mercado tocando uma música natalina: “Rudolph the red nosed reindeer”. Rezei e pedi que ela não voasse no meu pescoço, mas ela nem tinha virado, estava parada, estática! Eu é que devia sair dali voando igual à rena do nariz vermelho. E todo mundo esperando a reação da mulher. Tive a sensação que as pessoas estavam todas com olhares estranhos, um olho nela e o outro em mim, sabe? Tipo um linguado, isso mesmo o peixe, um olho para cada lado do rosto, para não perderem o desfecho da cena. E eu parado com o peru na mão.

Ela se virou numa cena digna de um filme de suspense e terror. Já assistiram O Exorcista? Quando a menina vira o pescoço 360°, mas o dela foi só uns 190°. Pegou o peru da minha mão olhando para a minha cara com os olhos esbugalhados e a pele bem avermelhada, quase assada. Só faltou sair aquele pininho da testa, sabe aquele que existia nos perus e avisava quando eles estavam prontos? Ainda existe esse pininho no peru?
Jogou o peru em cima do bacalhau dentro do carrinho e disse um “obrigada” bem baixo e para dentro, virando rapidamente para sair o mais rápido do mercado. Juro que tive vontade de desejar Feliz Natal, mas dessa vez consegui controlar a minha bocarra ou ela iria mandar eu enfiar o peru num local com rima bem simples!
Será que a Ana Maria Braga já pensou em fazer um prato de peru com bacalhau? Seria um ótimo prato de duplo sentido, em vários sentidos!  Para quem gosta, é claro! Imagino que linda a receita.
- A senhora, bota o seu bacalhau de molho, para tirar bastante o sal e o cheiro, enquanto isso pede pro seu marido ir preparando o peru!
Bastou a Linda Blair (a atriz do filme O Exorcista) sair pela porta para as pessoas voltarem para as suas compras e respectivos caixas e começarem a rir e darem os parabéns para mim.
Parabéns? Por que? Meu nome não é Jesus, não nasci no dia 24 de Dezembro, meu apelido é Alá, mas daí a dar parabéns... Nada a ver. Tive meu momento de Rudolph.
Tudo muito bom, muito bem, mas depois senti certo desconforto. Como ela parece infeliz! Será que eu piorei essa situação? Espero que não. Agora já foi. Que ela seja feliz com seu peru. Se todas as outras pessoas ali nos caixas se confraternizaram por alguns segundos já valeu minha véspera de Natal.
Fiquei o entardecer com a dúvida: como desejar Feliz Natal para as pessoas?

Eu queria muito ligar para um monte de gente, meu pai sempre fazia isso. Mas hoje não. As palavras são lindas e seria muito bom, mas desta vez vou não vou telefonar, farei um voto coletivo e mais permanente. Escrever esta postagem e disparar por todos os meios e e-mails para vocês.
Mas como vou desejar um Feliz Natal para:
- Alguém que pergunta de cinco em cinco minutos: que dia é hoje?
- Meu amigo que virou ateu.
- Pessoas que não acreditam mais.  Na vida e/ou em mim.
-Para aqueles que ainda acreditam.
- Aqueles parentes e amigos que estão no coração, mas longe fisicamente.
-Parentes e grandes amigos que apesar de estarem bem próximos fisicamente, não tenho mais contato, mas ainda moram no meu coração. Muito mais do que possam imaginar.
- Os novos amigos, mas que não tenho tanta intimidade e nem o número do telefone.
- Os velhos e bons amigos que não tenho mais contato.
- Meus cachorros e gatos. Esses eu vou dar um abraço bem apertado e beijos.
- Para um amigo e uma amiga (especificamente) que perderam neste ano uma pessoa muito importante.
- Para as pessoas muito amadas que partiram deste plano ou planeta, conforme a interpretação de cada um. Que morreram mesmo!
- Para todos que não são Cristãos ou não comemoram o Natal nesta data.
- Para as pessoas que “odeiam” o Natal e/ou a felicidade das pessoas.
- Os inimigos.
-Os chabamatos (leia a postagem: SER FELIZ OU TER RAZÃO?)
- Para as Lindas e lindos de todos os supermercados da terra, do mundo, quiçá do universo.
- Pessoas que eu magoei e/ou decepcionei.
- Pessoas que me magoaram e/ou me decepcionaram.
- Todas as pessoas que me apoiaram neste ano bem difícil. E aquelas que simplesmente ignoraram.
Como fazer isso? Desta forma:
Eu Amo Vocês! Feliz Natal ou Feliz Todos Os Dias!
Queria muito dar um abraço e um beijo em cada um de vocês, um abraço bem apertado e agradecer por estarem em minha vida, por terem passado por longo ou curto período. Cada um de vocês seja qual for o contato, que participou nem que seja num pedacinho (um cabelinho branco ou aqueles fios que se foram) do que sou hoje e posso dizer que sou Feliz assim! Olha a Rena do Nariz vermelho de novo!
Continuando na seção “piegas graças a Deus”, quero avisar que uma das minhas qualidades, e são muitas, além da modéstia, é claro, é não conseguir odiar alguém, um ser ou alguma coisa. Por mais que tenha feito algo aparentemente ruim ou absolutamente nada, não consigo! Obrigado Deus, Ser Supremo ou energia cósmica por conhecer todas essas pessoas, seres ou coisas (cada um que se encaixe na melhor condição!).

6 comentários:

Anônimo disse...

Tu e uma rena mesmo. dei muita risada e depois chorei
parabens pelotexto
ainda vou ler outros
uma amiga que indicou o blog
abco
renato

Fabiana disse...

Ao kbção mais divertido que eu conheço:

Um Feliz Todos os Dias!....com muita saúde, paz, alegria e amor.

(principalmente porque o Natal já está acabando)....

Seus posts me divertem imensamente....
Bejunda.
Fabi

Dilton Vargas disse...

Bom... já devidamente encaixado onde me cabe... te digo: adorei o texto!
O meu dilema foi outro: como responder às pessoas que me mandaram mensagens de natal, pelo email e telefone, sem dizer "tá, não tô nem aí pro natal!". "Jesus me ama? Tá! Manda um beijo pra ele! Vai que ele volta mesmo... melhor garantir..."
Fui bastante polido e político, até... nem todo mundo sabe que sou o "amigo que virou ateu", então respondi com o maior carinho possível. Para uns disse "ok, dispenso o natal, mas fico com todos os beijos e abraços!", pra outros falei apenas um "obrigado, igualmente".
Sabe, me deseja sorte, saúde e sucesso na segunda-feira, quando tenho de levantar pra trabalhar e olhar pra cara do chefe... me deseja coragem na hora de pagar as contas... me deseja amor quando estou interessado em alguém e não sou correspondido! (bom, aí iam ter de desejar quase toda hora...).
Por que só hoje? Acho que a tia lá do supermercado não está tão louca assim...

E, a propósito... ainda existe o pininho no peru!

Beijos todos os dias do ano, queridão!

Livia disse...

Estou passando mal, quase colocando para fora o pernil com tender e creme de milho, de tanto que ri.... acho que essa situação se enquadra mesmo para muitos...Vc nasceu com uma máquina de pensar do cac@#$$% desculpa por não honrar o espirito natalino e falar palavrão, mas vc é FO!@#$%$%!!!! TE AMOOO.....bjaoooo

Rosa Maria L. Bueno Calderon disse...

Olá MANINHO !
Depois da comemoração de mais um Natal e olha que foram "TANTAS EMOÇÕES" vividas nesses meus quase cinquenta anos, sem querer plagiar o Rei Roberto, e ainda me recuperando do susto que levei pois só me dei conta de que completarei meio século de vida no próximo ano, depois de ler seu post, e viajar enquanto lia e assistir um filme que passava na minha cabeça,de tantas coisas engraçadas de tantos Natais, outras nem tanto e algumas que de tão tristes que foram acabei rindo da minha própria desgraça.
Ê engraçado que tem coisas na vida que só nos damos conta depois de alguèm comentar, é por coisas assim que acho a internet fantástica, só por isso.
Quando lemos alguma coisa que provoca nossa memória, nosso sentimento ou nosso coração, é mágico, é envolvente e é por isso que te agradeço, pelos instantes em que li seu Post e ri e chorei e levei um susto e depois relaxai.
Obrigada por tudo e por mais isso.
Queria mesmo era ver a cara da mulher pegando o seu Peru e jogando em cima do Bacalhau, ah como eu queria Ah aha hah.....
TE AMO MUITO,
Sua MANINHA,
RÒ.

RICO disse...

Bom ja estamos no ano novo mas só li seu post agora! Muito bom :-)
Aproveito para te desejar muito sucesso em 2012!
Abração

Quem sou eu

Minha foto
São Paulo, Sudeste - SP, Brazil
Existe uma luz que nunca se apaga.